Ir para conteúdo

Ir para conteúdo

Prefeitura
Acompanhe-nos:
Facebook
Flickr
Youtube
Notícias
Principal   Notícias
 
06/10/2017 às 08:04:00
› Prevenção! Você sabe o que é leishmaniose?

A Leishmaniose é uma doença infecciosa não contagiosa, causada por parasitas do gênero Leishmania. Existem dois tipos de leishmaniose: a leishmaniose cutânea e a leishmaniose visceral. Esta doença afeta principalmente os cães, além de animais silvestres e urbanos e os seres humanos (principalmente as pessoas que são, de algum modo, imunodeficientes). Nos cães de estimação, a doença é conhecida como Leishmaniose Visceral Canina (LVC).

Transmissão

 A transmissão ocorre pela picada do mosquito-palha tanto em humanos quanto em animais. Ele é mais encontrado em lugares úmidos, escuros, onde existem muitas plantas. Vale destacar que a doença não é transmitida de um animal infectado a outro sadio, é o inseto que transmite a doença.

Sintomas em humanos

Leishmaniose visceral: Febre irregular, prolongada; anemia; indisposição; palidez da pele e ou das mucosas; falta de apetite; perda de peso; inchaço do abdômen devido ao aumento do fígado e do baço.

Leishmaniose cutânea: Duas a três semanas após a picada pelo mosquito aparece uma pequena pápula (elevação da pele) avermelhada que vai aumentando de tamanho até formar uma ferida recoberta por crosta ou secreção purulenta. A doença também pode se manifestar como lesões inflamatórias nas mucosas do nariz ou da boca. Ao apresentar sintomas da doença, procure o Serviço de Saúde mais próximo.

Sintomas em cães

Os sintomas da leishmaniose em cães podem incluir emagrecimento, perda de pelos, fraqueza, feridas, gânglios inchados, crescimento exagerado das unhas, anemia, dentre outros. Nos órgãos internos, pode ocorrer o crescimento do fígado e demais alterações.

Diagnóstico e tratamento

Nos humanos o diagnóstico da leishmaniose é realizado por meio de exames clínicos e laboratoriais e, assim como o tratamento com medicamentos, deve ser cuidadosamente acompanhado por profissionais de saúde. Sua detecção e tratamento precoce devem ser prioritários, pois ela pode levar à morte.

Já nos animais o diagnóstico preciso da doença só pode ser feito por um médico veterinário, que realizará exames de sangue e exames citológicos, feito a partir de pequenas amostras de tecidos. Se o seu animal de estimação apresentar sintomas da doença, procure o veterinário mais próximo. Clinicamente falando, a leishmaniose é uma doença tratável e curável.

Prevenção

Nos cães, além da vacinação, outras medidas de controle devem ser tomadas, como combate ao inseto vetor da doença, inseticida no ambiente e a utilização de produtos repelentes no animal.

            Já os humanos devem:

  • Recolher do chão do quintal as fezes de animais, folhas, frutos e troncos podres, dando o destino adequado;
  • Manter galinheiros e abrigos de animais limpos e afastados das casas;
  • Não utilizar folhas, frutos e restos de alimentos para adubo;
  • Colocar telas finas em janelas e portas da casa;
  • Manter a saúde e higiene dos animais: não permitir que o cão fique solto nas ruas;
  • Falar com seus amigos e parentes sobre essas medidas de prevenção da leishmaniose;
  • Evitar banhos de rio ou de igarapé, localizado perto da mata;
  • Utilizar repelentes na pele, quando estiver em matas de áreas onde há a doença.

Serviços

Para mais informações procure a Secretaria Municipal de Saúde, localizada na Rua Benjamin Monteiro, O – 146 ou pelo telefone (14) 3283-2890 3284-4673.

 
 
 

 
Localização Localização:
Rua: Siqueira Campos, n° S-64 - Centro - CEP: 17280-000
Localização Horário de Atendimento:
De Segunda a Sexta-Feira das 7h30 às 11h e das 13h às 16h30
Telefone Atendimento:
Fone: (14) 3283-9570
© Copyright Instar - 2006-2017. Todos os direitos reservados.
Seta
icone instar © Copyright Instar - 2006-2017. Todos os direitos reservados.